Arquivo da categoria: Produção

BATERIAS AA
Alcalinas x NiMeH x Li-Ion

As Baterias AA da Energia Custam até 220 Vezes Menos e
Poluem 1000 Vezes Menos que as Alcalinas

Baterias Alcalinas
• ciclo único – usou joga no lixo
• capacidade de energia de 790mWh @ 500mA
• voltagem variavel com a descarga, veja a curva amarela, nominal de 1.5V
• derretem, vazam eletrolitico que corroe e danificam os equipamentos

Baterias de Hidreto Metálico
• 300 ciclos
• capacidade de energia de 750mWh @ 500mA
• voltagem variável com a descarga, veja curva verde, nominal de 1.2V
• auto descarga acentuada

Baterias de Íon de Lítio
• 1000 ciclos
• capacidade de energia de 1750mWh independe da corrente. Corrente máxima de 1000 mA
• regulador interno DC-DC, tensão de 1.5V constante durante todo o tempo de uso,veja curva vermelha. Muito mais energia (P=VxI) se comparado com todas as demais baterias
• autodescarga desprezível de apenas 3%/mês.

 DurabilidadeEnergia Total Preço Final por Ciclo
Duracell Ultra Power 1 ciclo0.78WhUS$1.270
NiMeH300 ciclos0.75WhUS$0.049
Energia Li-Ion (1.5V)1000 ciclos1.75WhUS$0.005
A Bateria AA-1750 da Energia custa 14 vezes menos que as baterias de NiMeH.
A Bateria AA-1750 da Energia custa 220 vezes menos que as baterias alcalinas

Jornalismo não é brincadeira, é pauleira pura

Vem ocorrendo uma sequencia, fruto de um ciclo virtuoso, que começa com o aumento de qualidade dos padrões de videos, HD, Full HD, 4K, 8K, etc, seguido pelo aumento de qualidade da câmeras, com aumento de processamento, aumento no consumo de energia das câmeras e a consequente melhoria das baterias, com aumento de capacidade de corrente e com o aumento da capacidade armazenamento de energia das baterias, saltando de 100 Wh para 150 Wh, 200 Wh e agora para 300 Wh, lançadas pela Energia a um ano atrás, no inicio de 2019.

E aí surgem 2 problemas: as autoridades de transportes que continuam travadas no passado, com o limite de 100 Wh e os carregadores antigos, ainda em utilização em muitas emissoras e produtoras, limitados em 2Ah, podendo demorar até 24 horas para recarregar uma bateria de 300Wh. Um dia produz e o outro carrega???

O segundo problema é fácil de resolver – A Energia lançou 2 tipos da carregadores: o modelo desktop TC-2, com 6Ah capaz de carregar 2 baterias de 300Wh em apenas 8 horas e o super carregador portátil TC-LJ com 8Ah de capacidade, carrega uma bateria de 300Wh em apenas 3 horas.

As novas baterias de 300Wh da Energia, alem de atender as demandas por mais energia (tempo de operação) e também a demanda por mais corrente suportando até 15A de corrente de operação, as novas baterias EP-L300 têm o menor custo Wh/US$.

LED – A importância do fósforo

Os LEDs são, basicamente, constituídos de duas partes:

Um diodos emissor de irradiação de ondas eletromagnéticas, na frequência do ultra violeta ou da cor azul e de uma camada de material luminescente. Essa irradiação, ao se chocar com a camada luminescente, emite luz. A qualidade desta luz depende, fundamentalmente, da qualidade desta camada de material luminescente chamada de fósforo.

Atualmente, uma das principais linhas de pesquisa é sobre o fósforo, pois os LEDs são utilizados para iluminar as cenas de TV ou de cinema, mas também para iluminar as telas dos celulares, dos televisores e as super telas. A Energia desde 2010 acompanha essas pesquisas e desde 2014 todas as nossas luminárias eram Full Spectrum.

Existem diversos índices que indicam a qualidade dessa luz: CRI, TLCI, TM-30, etc. Atualmente, o que melhor indica a qualidade é o TLCI que compara a luz emitida pelo LED, captada por um sensor digital de alta performance. O resultado desse índice, em percentagem, indica a fidelidade de reprodução de cores, variando até 100% que correspondente a total fidelidade, equivalente a luz do Sol.

Um LED com TLCI abaixo de 80% é aceito para iluminação geral e de serviço.

Uma luminária com TLCI entre 80% e 95% é aceito para produções de vídeo de baixa qualidade.

Para produção de alta qualidade tipo Full HD, 4K e alem, necessita de luz com qualidade de 98% ou acima.

Um baixo valor do índice pode representar não apenas um erro de saturação das cores, mas também, um erro de deslocamento de fase da cor (hue).

Atualmente todas as luminárias da Energia possuem LEDs com TLCI acima de 98%, entre as quais destacamos o Cobra COB.

O on-camera super robusto, campeão de audiência, presente em 9 entre 10 câmera de jornalismo
Com um único LED tipo COB, produz uma luz com uma única sombra

PRÉ-LANÇAMENTOS DA ENERGIA 2020

A Energia lançará várias novidades sobre sua Linha de Produtos para 2020.

Algumas dessas novidades serão antecipadas a partir das Feiras da SET em São Paulo, da BIRTV em Beijing e da IBC em Amsterdam.

TC-LJ – Carregador Super Rápido

Enfim um carregador para quem não tem tempo a perder!

Trata-se de um carregador portátil com 8A de capacidade, isso significa 4 vezes mais potente que os carregadores comuns. Os tempos de Carga serão reduzidos extremamente.

POCKELITE F7

É uma luminária que todos os diretores de fotografia e cinegrafistas iram desejar ter no bolso da jaqueta.

É uma luminária tipo On-Camera, RGBW com mais de 16 milhões de cores e geradora de efeitos, capaz de simular as luzes de veículos de emergência (polícia, ambulância e bombeiros) e inúmeros outros efeitos.

Acordeon

Luminária com lente Fresnel de cristal e superpotente, 10.340 lux@3m@180 (equivalente mais de 4KW de tungstênio com filtro daylight).

Possibilidade de ajustes de intensidade (dimmer) e de foco por DMX.

Luz de alta qualidades com TLCI acima de 98%.

Alimentação por AC ou por baterias tipo V-Mount ou Golden Mount.

Pockelite F7

Uma joia que não pode faltar

A Energia lança o PockeLite F7 a primeira luminária On-Camera RGBW.

Super completa ela dispõe de todos os efeitos: Carro de polícia, ambulância, bombeiros, simula incêndio, relâmpagos, tela de TV, etc… e claro, todas as cores do arco-íris (HSI 0-360) e com luz branca de 2500K à 7000K com CRI acima de 97%.

Feita para durar, ela é toda metálica e com acabamento sofisticado tem espessura de 15mm apenas.

Pequena no tamanho, mas forte na iluminação com 12W gera uma iluminâcia de ate 4060 lux em 0,3m.

A Pockelite F7 é equipada com bateria interna íon de lítio com 30.000mAh, que garante mais de 2h de operação a cada recarga. Podendo ser recarregada por porta USB tipo C

Especificações:

Modelo: F7
Consumo: 12W 
Capacidade da bateria interna: 7.4V/3000mAh 22.2Wh 
Bi-Color: ajustável 2500K-9000K 
HSI: Hue (0-360)/Saturação 0-100/Intensidade 0-100%
Efeitos: Polícia, Ambulancia, TV, Relâmpagos, etc
Alimentação: 5V-15V 2A / Carga rápida QC3.0 através da porta USB Type-C  
CRI: 95+ 
Iluminância: 4060lx@0.3m  
Dimensões: 156 x 80 x 15mm 
Massa: 300g 

NOVAS BATERIAS

A Energia lança uma nova linha de baterias com preços abaixo do praticado no mercado e com novas funcionalidades.

As novas baterias usam as mais modernas células de Íon de Lítio que resulta num aumento de energia porem com uma grande redução de preços.

Todas as baterias desta série trazem também conectores complementares tipo USB e D-Tap que permitem a utilização das baterias para alimentar outros dispositivos como luminárias, celulares, tabletes, etc.

SuperSoft Uma Nova Tendência ou Uma Realidade?

Desde o ano passado, após o IBC 2016, a Energia lançava uma luminária-conceito, onde a luz gerada era super difusa e praticamente sem sombras.

Este ano no IBC2017, praticamente todos os fabricantes: Litepanels, Arri, Dedo, várias fábricas chinesas, etc, expuseram luminárias tipo “super soft”, confirmando o conceito lançado pela Energia um ano atrás.

Agora a Energia lança suas SuperSoft Lights com alta potência. São luminárias com mais de 3500 lux/m de intensidade e um surpreende ângulo de iluminamento (meia-potência) acima 120 graus, mais que o dobro dos painéis convencionais.

Está nova série de SuperSoft Lights tem 4 modelos:

  • SP-16FS;
  • LPS-790FS;
  • LPS-970FS e
  • LPS-1800FS.

 

Essas novas luminárias são totalmente construídas com uma liga de alumínio super leve e resistente, utilizam LEDs da CREE, com índices(*) de até 98% de fidelidade de cores.

já estão disponíveis para sua avaliação e para venda na Energia.

(*) Índices CRI, TLCI e TM-30 medidos com espectrógrafo UPRtek, modelo MK350N.

SMPTE Aprova pacote padrão ST2110 para IP

SMPTE approves ST 2110 standards suite for IP

SMPTE Aprova pacote padrão ST2110 para IP

By George Bevir

18 September 2017

 

 

 

 

IBC2017: SMPTE has announced at IBC the approval of the first standards within SMPTE ST 2110, the standards suite for carrying content over internet protocol (IP).

IBC 2017: a SMPTE anunciou no IBC a aprovação dos primeiros padrões no SMPTE ST 2110, o padrão é adequado para transportar conteúdo por meio de protocolo de internet (IP).

 

IP Showcase in Room E106 at IBC2017

 

The Professional Media Over Managed IP Networks standards suite specifies the carriage, synchronization and description of separate elementary essence streams over professional IP networks in real-time for the purposes of live production, playout and other professional media applications.

“Radically altering the way professional media streams can be handled, processed and transmitted, SMPTE ST 2110 standards go beyond the replacement of SDI with IP to support the creation of an entirely new set of applications that leverage information technology (IT) protocols and infrastructure,” said SMPTE President Matthew Goldman, senior vice president of technology, TV and media, at Ericsson.

“Our Drafting Group worked diligently to complete the first documents of this critical standards suite.

 

“The formal standardization of the SMPTE ST 2110 documents enables a broad range of media technology suppliers to move forward with manufacturing and meet the industry’s high demand for interoperable equipment based on the new suite of standards.”

 

O pacote de padrões de redes de mídia Professional Managed IP Networks especifica o transporte, sincronização e descrição de fluxos de essência elementares, separados em redes IP profissionais, em tempo real, para fins de produção ao vivo, playout e outros aplicativos de mídia profissional. “Altera radicalmente a forma como os fluxos de mídia profissionais podem ser tratados, processados ​​e transmitidos, os padrões SMPTE ST2110 vão além da substituição do SDI por IP para suportar a criação de um conjunto inteiramente novo de aplicativos que utilizam protocolos e infra-estrutura de tecnologia da informação (TI)” Disse o presidente da SMPTE, Matthew Goldman, vice-presidente sênior de tecnologia, TV e mídia, na Ericsson. “O nosso Grupo de Redação trabalhou diligentemente para completar os primeiros documentos desta série de padrões críticos. A padronização formal dos documentos SMPTE ST2110 permite a uma ampla gama de fornecedores de tecnologia de mídia, avançar com a fabricação e atender a alta demanda da indústria de equipamentos interoperáveis ​​com base no novo conjunto de padrões”.

 

 

The new SMPTE ST 2110 standards are a primary focus of the IP Showcase at IBC2017, where SMPTE has joined forces with the Audio Engineering Society (AES), Alliance for IP Media Solutions (AIMS), Advanced Media Workflow Association (AMWA), European Broadcasting Union (EBU), IABM, Media Networking Alliance (MNA), and Video Services Forum (VSF) to support the event.

Os novos padrões SMPTE ST2110 são um dos principais focos da IP Showcase no IBC2017, onde a SMPTE uniu forças com a AES (Audio Engineering Society), Alliance for IP Media Solutions (AIMS), Advanced Media Workflow Association (AMWA), European Broadcasting União (EBU), IABM, Media Networking Alliance (MNA) e Video Services Forum (VSF) para apoiar o evento.

 

The IP Showcase features the latest advances in IP technology for the professional media industries and demonstrates how SMPTE ST 2110 standards add value. Numerous interoperability demonstrations assist broadcast/IT engineers, CEOs, producers, and others in understanding how they can leverage the benefits of ST 2110 standards.

According to SMPTE, with the ST 2110 standards, intra-facility traffic now can be all-IP, which means that organisations can rely on one common data centre infrastructure rather than two separate facilities for SDI and IP switching/routing.

The foundation for the first SMPTE ST 2110 standards came from Video Services Forum (VSF) Technical Recommendation for Transport of Uncompressed Elementary Stream Media Over IP (TR-03), which VSF agreed to make available to SMPTE as a contribution toward the new suite of standards.

SMPTE ST 2110 standards make it possible to separately route and break away the essence streams — audio, video, and ancillary data.

This advance simplifies, for example, the addition of captions, subtitles, and Teletext, as well as tasks such as the processing of multiple audio languages and types.

Each essence flow may be routed separately and brought together again at the endpoint. Each of the component flows — audio, video, and ancillary data (there may be multiple streams of each type) — are synchronised, so the essence streams are co-timed to one another while remaining independent.

 

O IP Showcase apresenta os últimos avanços na tecnologia IP para as indústrias de mídia profissional e demonstra como os padrões SMPTE ST2110 agregam valor. Numerosas demonstrações de interoperabilidade ajudam os engenheiros de transmissão / TI, CEOs, produtores e outros a entender como eles podem aproveitar os benefícios dos padrões ST2110.

De acordo com a SMPTE, com os padrões ST2110, a instalação agora pode ser All-IP, o que significa que as organizações podem confiar em uma infraestrutura de data center comum, em vez de duas instalações separadas para SDI e IP switching / routing. A base para os primeiros padrões SMPTE ST2110 veio da Recomendação Técnica do Video Services Forum (VSF) para a Transmissão de Stream Não-Comprimidos por IP (TR-03 ), que a VSF concordou em disponibilizar para a SMPTE, como uma contribuição para o novo conjunto de padrões. Os padrões SMPTE ST2110 tornam possível rotear e separar separadamente os fluxos essenciais – áudio, vídeo e dados auxiliares. Este avanço simplifica, por exemplo, a adição de geradores de carácteres, legendas e teletexto, bem como tarefas como o processamento de vários idiomas e tipos de áudio. Cada fluxo de conteúdo pode ser encaminhado separadamente e reunido novamente no ponto final. Cada um dos fluxos de componentes – áudio, vídeo e dados auxiliares (pode haver vários fluxos de cada tipo) – são sincronizados, de modo que os fluxos essenciais são co-timed um ao outro enquanto permanecem independentes.